O trekking Vale do Pati é uma das primeiras atrações que surgem na lista de quem vai para a Chapada da Diamantina. No entanto, se você está começando a pesquisar sobre um dos trekkings mais bonitos do Brasil, (infelizmente mais conhecido pelos gringos do que por nós mesmo), é fundamental que comece a preparação com alguma antecedência. O Vale do Pati exige condicionamento físico para as longas horas de caminhada e fôlego para se surpreender com as paisagens sensacionais.

Para muitas pessoas, o trekking Vale do Pati pode ser comparado ao famoso caminho de Santiago de Compostela e não apenas pelo ar místico que atrai muitos visitantes, mas, também pelo fato de poder ser feito de vários formas, com roteiros que variam de 3 a 5 dias, com rotas vão dos 15 a 25 km, o que transforma o passeio em uma verdadeira jornada para os caminhantes. Curtiu a ideia? Então vamo comigo que vou explicar um pouquinho melhor sobre como fazer o Vale do Pati.

Vale do Pati: como chegar

O início do trekking Vale do Pati começa na cidade de Lençóis, que na verdade é a base para qualquer passeio na Chapada Diamantina. O Pati é um lugar bastante isolado e com trilhas de uma certa dificuldade. Portanto, é fundamental contratar uma agência para garantir que o seu trekking será feito nas melhores condições e com a segura que qualquer passeio na natureza exige, aconselho a CIRTUR que fica bem no centro de Lençois e tem um atendimento impecável com a Soraya.

Por mais que você fique querendo poupar no orçamento, ao contratar uma agência acaba por garantir algumas vantagens como, por exemplo, garantir o transfer da sua pousada em Lençóis até Pati, um vilarejo algumas dezenas de pessoas, sem estradas, automóveis e água quente e claro, um guia! Muiti importante nesse passeio porque o tour é roots real.

Trekking Vale do Pati: o percurso 

Para quem é amante das trilhas e dos passeios na natureza, O Vale do pati é o verdadeiro paraíso. Porém, é preciso saber que se você vai passar apenas um fim de semana ou feriado prolongado, este será o seu principal passeio na Chapada Diamantina.

Existem dois pontos de entrada, pelo Guine a trlha é mais suave e Capão mais puxada. Mas como a ordem dos fatores não altera o produto irei te contar a ordem do passeio entrando pelo Capão, beleza? No primeiro dia, a jornada tem como destino final a casa do Senhor Wilson (ou Seu Wilson), o percurso é de aproximadamente 25 km, ou seja, bota chão nisso! O início começa tranquilo pelo Gerais dos Vieira, uma área plana e com vegetação baixa, em seguida há uma subida pelo Gerais do Rio Preto com direção ao Esbarrancado, que é o ponto mais alto da Chapada com 1700 metros e, apesar de não alcançar o cume, o caminho é paralelo ao mesmo, sendo assim, você estará sim a 1700 metros de altitude :O Logo depois é hora de descer em direção ao ponto de descanso, a casa do “Seu Wilson”.

O segundo dia de passeio tem como destino o Cachoeirão, um dos pontos mais conhecidos do Vale do Pati, tanto por ser a segunda cachoeira mais alta da Chapada Diamantina quanto por sua beleza impressionante. O percurso tem no total 16km, oito na ida e outros oito na volta. Para quem já andou 25km, vamos combinar que 16km é moleza, não é mesmo? kkkk

trekking vale do pati

Fonte: Reprodução

O terceiro dia de trekking Vale do Pati é um dia de contemplação de toda a beleza da natureza no Morro do Castelo. Isso porque o Morro do Castelo está bem no meio do Vale do Pati, com uma visão de 360º, o que permite ver o Vale do Calixto, do Pati e o fundo do Cachoeirão. Além disso, para acessar o cume da montanha é preciso atravessar uma caverna de 100 metros para chegar aquele momento que você vai fazer “wow”. O dia termina com um banho na Cachoeira do Funil, com tempo para descansar, relaxar antes de voltar para casa e renovar as energias para o dia seguinte.

O quarto dia é o momento de atravessar o Vale do Pati, desde a parte de cima até ao chamado Pati de Baixo. Nos 12km dá vê-se todos os pontos vistos nos dias anteriores, porém agora de baixo para cima. É neste percurso que dá para perceber o motivo da formação se chamar Morro do Castelo. Depois da travessia, há três possibilidades de hospedagem, sendo todas elas nas casas de moradores do Vale do Pati.

Morro do castelo

O último dia pode ser considerado um dos mais pesados do trekking Vale do Pati. O início da jornada é de 8km de subida rumo ao Morro do Império, no caminho onde passavam os burros carregados de café rumo a cidade de Andaraí. Já a descida são 12km, na ladeira da Boa Vista, uma área de garimpo que leva, ainda nos dias de hoje, ao município de Andaraí, o ponto final dos 5 dias de trekking. Se você acha muito pesado os 5 dias na CIRTUR também tem o de 3 dias, que inclusive é o que mais sai 🙂

Mais do que uma simples caminha, o trekking Vale do Pati é um caminho para conhecer mais da nossa história, descobrir sobre a vida dos locais, as suas tradições, a cultura e pensar ainda mais em soluções de sustentabilidade para preservar este tesouro brasileiro que é a Chapada Diamantina.

Onde se hospedar no Vale do Pati

Como falei no início do texto, o Pati é um vilarejo com algumas dezenas de casa. Portanto, esqueça qualquer ideia de hotel, pousada ou hostel. A hospedagem por lá é na casa dos seus habitantes, o que na verdade é muito interessante. Afinal, acabamos por ter a oportunidade de saber ainda mais como funciona o dia a dia em um lugar tão isolado e com um ritmo tão diferente das cidades.

Ao fechar o passeio com uma agência esta hospedagem também está incluída, assim como o café da manhã, os lanches nas trilhas (confirme com a sua agência na hora de fechar o passeio) e o jantar. Ou seja, comida não vai faltar 🙂

O que levar para o trekking Vale do Pati

Uma viagem pela natureza exige alguns itens de sobrevivência – e não estou falando de carregador para o seu celular. Quando o assunto é o Vale do Pati, é preciso ainda ter atenção dobrada. Preparei um checklist para você organizar a sua mochila e não passar perrengue nenhum.

  • Lanche extra – mesmo que a agência ofereça um, é sempre bom ter algo a mais na sua mochila;
  • Roupa leve para caminhada;
  • Roupa de banho;
  • Agasalho, calça (tipo moletom) e camisa UV para proteger do sol que racha; Mas a noite pode fazer muito frio.
  • Bota apropriada para caminhada;
  • Leve um chinelo também para descansar os pés;
  • Chapéu ou boné também salvam nas horas de pico do sol.
  • Protetor solar e repelente – sempre;
  • Lanterna de cabeça;
  • Remédios de rotina (não há farmácia no Vale do Pati)
  • Material de higiene pessoal  
  • Cajado ou bastão de caminhada  
  • Dinheiro, não é preciso dizer que não há banco 24 horas no Vale do Pati, né.

Separando todos estes itens, o trekking vale do Pati  vai ser só sucesso, fotão e muita dor na perna, hahaha, brincadeira. Pois, sem dúvidas, este é um daqueles cantos do Brasil que nos fazem querer conhecer ainda mais o que temos por aqui!

Organize melhor sua viagem 

Já reservou o seu Hotel? Eu sempre uso o Booking, melhor site para reserva e com opções em todos os lugares do mundo! 
Não esqueça seu seguro viagem! A Seguros Promo é uma das melhores opções porque tem opções bem baratinhas! 
Usando o código VAMOCOMIGO5 você tem 5% de desconto :) 
fimdepost_vamocomigo

Assine a nossa newsletter

Recebe aí as novidades no teu email e ajuda o blog a crescer

I agree to have my personal information transfered to MailChimp ( more information )

Não irei dar, trocar ou vender o seu endereço de e-mail, ta? É confidencial, prometo!

Compartilhar:
Escrito por rebecca
Ex- futura arquiteta, antiga Diretora de Arte e Mídia, atual Analista de Marketing Digital e para sempre Nômade.