Eu sempre disse que quando escolho um lugar pra ir, eu escolho de acordo com as promoções de passagens aéreas. Se tem promoção pro Alaska, eu nunca fui e cabe no meu orçamento é pra lá que eu decido ir na próxima viagem… O Deserto do Atacama nunca esteve na minha lista de lugares dos sonhos pra ir, mas entrou na pra lista dos lugares mais belos que ja fui. Chegar lá é cansativo porém extremamente simples, muito mais do que chegar em Bonito – MS por exemplo. Mas ó, vou explicar certinho como fiz tudo, vamo comigo, pasito a pasito, suave suavecito.

deserto-do-atacama

Passo 1 – Como comprar as passagens.

O Deserto do Atacama fica bem no norte do Chile em uma área um pouco afastada da civilização mas se engana quem pensa que lá você estará isolado dela. San Pedro de Atacama tem uma ótima estrutura e não falta absolutamente nada lá, diferente de Bonito-MS (não to implicando com Bonito não haha, mas é serio). Você pensa que só porque ta indo pro meio do deserto, o acesso é difícil, internet não existe ou as artigos básicos são escassos mas não! Atacama tem uma estrutura maravilhosa 🙂

Mas então as passagens: Comprei meu voo saindo de São Paulo para Santiago numa promoção da Latam, ida e volta? R$924,16 mais precisamente, de lá separadamente entrei no site da Sky Linhas aéreas e comprei um voo para Calama, que é o aeroporto mais próximo de San Pedro de Atacama. Ida e Volta? R$171,46 (já com o IOF do cartão). A sky tem inúmeros horários de voos entre Calama e Santiago, então da pra escolher a vontade.. eu tive a péssima ideia de pegar o voo que chegava em Santiago 1:30 da manhã e comprar o voo pra Calama às 5h da manhã, dormir no aeroporto PÉSSIMA ESCOLHA, quase congelei, não façam isso em casa crianças. Outra péssima escolha? não comprar check-in de bagagem ainda quando comprei a passagem, odeio viajar só com mochila e já sabia disso né? vacilei, comprei no aeroporto e me arrombei hahaha R$100 só pra despachar na ida + R$70 na volta (porque fiz na internet).

deserto-do-atacama

eu ainda em SP com a mala que não era de mão 🙂

Ah! A Latam também vende o trecho pra Calama mas como a promoção não contemplava esse trecho, eu acabei comprando separado mesmo. Total: R$1095,62 e uma rinite por ter deitado no chão frio do aeroporto.

Mas se Calama ainda não é San Pedro do Atacama o que nóis faz? Vocês esperam chegar no aeroporto e vão ter uns carinhas que te levam pra lá. Existe um ônibus que você paga 8000 pesos chilenos mas que te deixa na rodoviária da cidade, porém nos guiches logo quando você sai também tem van que te deixa no hotel por 10000 pesos chilenos… aí você cansada, pôdi de grude, com mala e ainda não conhecendo nada da cidade chegar na rodoviária é pau né? 2000 mata ninguém não. Peguei essa van mesmo, que se você marca ida e volta fica mais barato and já deixa agendado, tudo lindinho. No meu caso foi ótimo porque meu voo de volta saia 8h da manhã ou seja, eles passaram no hotel às 5:30 em ponto. Magina eu ter que sair do hotel pra pegar busão nesse horário, num frio triste? eu hein.

Passo 2 – A hospedagem

Taí uma coisa que é muito relativa… tem gente que fica de boas em hostel, tem gente que prefere uma pousadinha, outra galera é mais high society e só quer hotel bonzão. Então digo, tem de tudo ta? Eu fiquei numa pousada que não era tão perto do centro mas era coisa de 1o minutos andando… isso de ficar “longe” do centro conta muito porque se você vai no inverno a preguiça e a coragem de sair do hotel pra comprar um PIPPO’s (quem aí sabe o que é isso hahah) é quase nula. Então vejam se o hostel fica perto da Rua Caracoles (é esse mesmo o nome haha) e ta tudo certo. E outra mega dica é: reservem um local com aquecedor! O frio que eu passei porque a minha só disponibilizou um aquecedor meia boca, foi triste. Eu fiquei no Hostal Atacama North. Valor da minha hospedagem? R$322 para 4 fucking diárias, foi barato vai… mas o frio não compensou viu? 🙁

deserto-do-atacama

Passo 3 – O Câmbio

Em 2017, a conta mais fácil de se fazer é 1000 pesos chilenos = R$5,00. Nem sempre vai ser esse valor mas vai chegar bem aproximado. Aconselho levar a grana já trocadinha do Brasil e em último caso uns dólares. Lá em San Pedro como é isolado a galera mete a faca e fica muito caro trocar dinheiro por lá… ah, e também não inventa de trocar no aeroporto tá? mesma regra: a galera mete a faca. Em São Paulo é fácil achar casa de câmbio que vende Pesos Chilenos à pronta entrega mas existem outras que precisa reservar, então nunca é bom deixar pra trocar em cima da hora.

Passo 4 – Quanto levar?

Uma confissão que faço é: eu mal pesquiso sobre lugares quando eu planejo uma viagem, eu sei, é errado… mas essa sou eu 🙁 Eu compro a passagem uns 3 ou 4 meses antes, fico empolgada. Passa (ou to cato outras promoções). Lembro que em 1 mês tenho que viajar, reservo hotel, fico empolgada. Passa (ou to cato outras promoções). Faltando 1 ou 2 semanas pra viajar eu começo de fato a ler blogs de viagens pra entender pra onde danado eu to indo, o que vou fazer por lá e principalmente quanto eu preciso levar, nesse quesito eu sou PÉÉÉÉSSIMA. Um exemplo? Eu entrei em alguns blogs de viagem e o melhor que achei foi esse aqui que me deu um panorama legal de quanto iria gastar daí beleza, fiz as contas de passeios + comida e cheguei no número de R$1400 ou 280.000 pesos chilenos. Mas chegando lá surprise: quase num deu… sabe por que? quando vi nos blogs os preços dos passeios pensei que era só aquilo e me programei praquilo, mas não, cada um dos passeios tem uma taxa de entrada que é variável entre eles e que no fim pesou consideravelmente no orçamento. Então na dúvida, leva mais, bem mais porque uma vez lá… faz tudo o que teu bolso te permite.

Passo 7 – O que levar?

Roupa de frio, uma botinha confortável e pelo amor de Deus: FILTRO SOLAR!! A quantidade de gente que eu vi reclamando de queimaduras do sol por lá… mas é claro né gente? não é porque ta frio que o sol vai deixar de queimar. Muitos dos passeios são a céu aberto e a gente passa muito tempo exposto mesmo, embora com muitos casacos mas o rosto fica exposto então, crianças, usem filtro solar.

deserto-do-atacama

Passo 6 – Os passeios

Ah, isso tu resolve lá. É importantissimo resolver só lá porque a concorrência entre as agências é enorme então o poder de barganha é grande também. Então a dica que todos passam é: chegando lá pesquise algumas agências e veja qual se encaixa mais no seu perfil/bolso, é a matemática simples, quanto mais caro o preço, melhor o serviço. Eu sinceramente não tive problemas com a agência que escolhi, a Lickan, paguei 81.000 pesos chilenos por 5 passeios que acabou sendo 4 porque eu tive o azar de ter 2 cancelados devido a nevasca, bla bla bla enfim mas tudo foi tranquilo, me pegaram na hora certa, teve lanchinho, teve comunicação na hora da troca dos passeios… E mais, o orçamento para passeios vai depender do passo 4, quanto você levou. Porque tem trooooooço pra fazer naquela cidadezinha do tamanho do nada viu? Na verdade em San Pedro mesmo não te muita coisa não, a não ser comer e dormir, to falando dos arredores mesmo. Sério, eu conheci gente lá que passou 1 mês e nem acho que fez tudo o que o local oferece. Tem passeio de balão, aluguel uma bicicleta, board na areia, banho em termas, walking tour, trilhas… a lista é imensa! Todos os guias falam inglês e espanhol, porém por ter muito brasileiro por lá eles falam um espanhol devagar e às vezes insere umas palavras em português, muito tranquilo de entender. Dá pra eleger alguns passeio que você deve fazer quando for:

  • Valle de la Luna
  • Pedras Rojas (eu não fiz porque as estradas estavam fechadas devido a neve 🙁 )
  • Lagunas Altiplânicas
  • Lagunas Escondidas
  • Geysers del Tatio (eu não fiz porque as estradas estavam fechadas devido a neve 🙁 )

PLUS

  • Laguna de Chaxa pra ver os flamingos
  • Laguna Cejar
  • Vulcão Lascar
  • Termas de Puritama
  • Valle del Arco Íris

Acho que é isso, amanhã vou falar do meu primeiro dia no Atacama que começou com o meu aniversário e um por do sol incrível! Vamo comigo ver os passeios que eu fiz? 🙂

Compartilhar:
Escrito por rebecca
Ex- futura arquiteta, antiga Diretora de Arte e Mídia, atual Analista de Marketing Digital e para sempre Nômade.